Quase uma tonelada e meia a menos de gás carbônico na atmosfera todos os anos

Clean air dirty air

A ABESCO, Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia, divulgou um relatório no qual declara que uma residência equipada com os painéis solares para captação de energia solar pode gerar até 180 kW de energia elétrica por mês e evita a dispersão de quase 1.300 kg de gás carbônico na atmosfera ao longo de um ano.

Além desses benefícios que falam diretamente ao cidadão, por ser uma alternativa viável para a economia doméstica, a adoção da opção pela energia solar reduziria significativamente, ao longo do tempo, a necessidade de construção de novas usinas tanto hidrelétricas quanto termelétricas, com grande vantagem para o meio ambiente e a sobrevivência do planeta.

De acordo com a legislação, o indivíduo que produzir além de sua capacidade de utilização de energia, terá o excedente adquirido pela empresa concessionária da sua cidade. Essa remuneração é feita por meio de créditos de energia elétrica ao produtor doméstico. Isso significa, no fim das contas, uma redução no consumo total de energia, portanto, uma redução real do valor da conta de eletricidade.

Rodrigo Dalmônico, especialista em eficiência energética, diz que o sistema representa uma economia considerável quando comparado ao sistema tradicional. Dalmônico esclarece que a instalação de um sistema de geração de energia solar em uma residência normal, com consumo médio de 2 kW por mês, tem um custo médio 20 mil reais. Como o tempo de garantia do equipamento gira em torno de 25 anos, o retorno pode ser de quatro a cinco vezes o investimento inicial ao longo desse período. O Brasil já possui mais de três mil unidades residenciais equipadas com painéis solares.

 

(Publicado em junho 2016)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*